domingo, 15 de fevereiro de 2009

100 anos no tabuleiro da baiana.

Dia 9 de fevereiro, a pequena notável, de apenas 1,53 m de altura, faria cem anos se tivesse viva.
Maria do Carmo Miranda da Cunha nasceu em Portugal, em 1909. Aos dez meses, veio para o Brasil com a mãe e a irmã para reencontrar o pai, que se estabeleceu como barbeiro no Centro do Rio.
Antes de se tornar cantora, Carmem teve seu primeiro emprego aos 14 anos, numa loja de gravatas, e depois numa chapelaria. Consta, que do último, foi despedida por cantarolar em serviço.
Aos 17 anos, Carmem já queria ser artista. Mas só quatro anos mais tarde o sucesso aconteceu. Carmem gravou a marchinha “Tai” (pra você gostar de mim) e no mesmo ano já era apontada como a maior cantora brasileira. A decolagem rumo à carreira internacional aconteceu após um empresário americano assisti-la no Cassino da Urca, em 1939.
Além da carreira, a baixinha teve uma vida amorosa movimentada até se casar com um americano. Mas a união não deu certo. Viciada em barbitúricos, álcool e cigarro, a cantora enfartou aos 46 anos, nos EUA. O enterro aconteceu no Brasil, como ela própria desejava. “Quando eu morrer, quero ser enterrada no Brasil, embaixo daquela terra que tanto amo.”

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por este blog!
    Parabéns profa. Andrea e alunos por este brilhante projeto multimídia!
    O blog da Língua Portuguesa do Colégio Rebeca já é uma realidade!
    Rogério Freitas
    Coord. Administrativo Colégio Rebeca

    ResponderExcluir